sexta-feira, maio 27

Estado de espirito

Ando para aqui a sentir que me arrasto de dia para dia, com pouco ânimo para fazer outra coisa que não seja trabalhar (a custo) e pensar na merda de vida que tenho. A minha mãe sempre me dizia: “Não te chateies, vais ver que amanhã é outro dia”. Ainda me diz quando desprevenida apanha com os meus desabafos. Mas a verdade é que o dia de amanhã é em tudo igual a hoje. Os dias sucedem-se, nada acontece para além das promessas e eu perco o ânimo.
O problema é o mesmo desde há uns meses, a falta de dinheiro. Se nos últimos meses do ano anterior eu me queixava de não ter trabalho, agora queixo-me de ter trabalho a mais para nada. É verdade, para nada. Não vejo os frutos desse trabalho. Só vejo as dividas a aumentar.
Não sou muito de me queixar, e até por brincadeira já digo que é uma questão de hábito o gerir diariamente os míseros euros que vou arranjando. Mas quando chego ao café e digo ao meu vizinho que hoje é ele a pagar o café porque não tenho dinheiro e ele me responde “Caraças, mas eu vejo-te a trabalhar tanto, como é que pode ser?”, começo a pensar seriamente na questão e fico irritada, zangada, com vontade de bater em alguém. O meu bom senso agarra na lembrança do optimismo da minha mãe que ela tanto se esforçou em me passar e diz-me “Tem calma moça, tens muito dinheiro para receber de todo este trabalho que tens feito, isto vai mudar”
Depois vêm as notícias de aumento de impostos e lá desmoralizo eu de novo. È que vai ser mais difícil convencer os meus clientes que me devem pagar. Vai ser mais difícil responder a “ainda não nos pagaram esse trabalho e andamos aqui com uns problemas de tesouraria”, enfim.
Eu até nem ganho mal, feitas as contas, se tiver trabalho regularmente, o rendimento médio mensal dá para a sopa e ainda sobra algum para as palhaçadas. O problema é que não me pagam.
É injusto… é injusto passar os dias a fazer contas ao euros e a pensar na quantidade exorbitante de dinheiro que tenho para receber (ah pois… é exorbitante. Dava para pagar todas as dividas e ainda para ir passar ferias a uma estância balnear qualquer fora do país). Mas hoje é só um dia e amanhã é outro dia e lá fora os passarinhos cantam e o sol tenta timidamente aparecer e … enfim.

9 Comments:

Blogger jjvd said...

Se calhar o custo da crise, da retoma (toma duas vezes) da crise e do défice, deveriam ser melhor direccionados. Muta gente está cansada de ser o seu público-alvo priveligiado. Queremos repartir esse prazer imedível. Assinado:um funcionário público que não joga paciência nas horas de serviço, mas começa a perder a que tem. Mesmo sem razões para se queixar, no seu caso particuilar. Beijos

5:01 da tarde  
Anonymous Ancestor said...

Aproveita agora, que é mais barato, antes do aumento do IVA. Compra um taco de basebol e um doberman. Depois faz-te acompanhar de ambos aquando a cobrança. Compra também uma caveira numa qualquer loja gótica e usa-a como cinzeiro. Leva-a para as reuniões e quando te interpelarem responde "foi alguém que não me pagou o que devia a tempo e horas - pobre Horácio". Com esta ancestral receita, o teu cash flow mudará no intervalo de poucos meses.

11:00 da tarde  
Blogger Reporter said...

Estou a ver que o mal é geral.
Fiz um trabalho há mais de um mês e ainda não recebi.
Mas eu que não sou de meias medidas, já telefonei ao gajo e disse-lhe: "Parceiro, ou o guito está cá até ao final deste mês ou vou aí recebê-lo, devidamente equipado".
E garanto que vou. Nem que tenha que gastar a impoertância na deslocação. Mas o sacana não se fica a rir.

8:48 da manhã  
Anonymous jjvd said...

Ancestor:brilhante. E acrescento que no meio da conversa-a que se segue depois de "pobre Horácio"-se deixem cair-fotogarfias da família
ilia inventada de Horácio, de rotinas, de horários, etc...-acompanhada com uma frase inspiradíssima do género: "Ah, peço desculpa...acho que me enganei, estas não são as fotografias do projecto...são estas estas!" Gostas da idéia Linda. Beijos grandes

5:52 da tarde  
Blogger Espectacologica said...

Olha amiga faz como eu... ando sempre tesa e sempre que apanho algum guito gasto-o logo quase todo... para não me habituar... ;)

Achas que arranje um gato só para ter o prazer de ver alguém ter uma vida fixe?
eheheheheh

Beijos :)

9:28 da tarde  
Blogger mabeka said...

jjvd, a crise é sempre paga por quem menos pode. Apetece-me voltar à frase pós-25 de abril "Os ricos que paguem a crise!" beijo

2:20 da tarde  
Blogger mabeka said...

Ai Ancestor, aí está uma ideia que já me passou várias vezes pela cabeça. Não ganhava nada com isso, mas pelo menos ficava satisfeita. O problema é que não sei ser agressiva, mas ando a aprender. Oh se ando...

2:22 da tarde  
Blogger mabeka said...

Reporter, o mal é geral. O problema para mim é que não tenho outra fonte de rendimento. Enfim... cá andamos. bjs

2:23 da tarde  
Blogger mabeka said...

espectacológica, podias ter prazer em ve-lo feliz (como eu tenho)mas também tinhas que fazer marabalismos para o alimentar, manter o seu wc, rezar para que o vomitar não seja mais que o mandar o pelo cá para fora porque não tens guito para veterinários, pedir-lhes desculpa quando ele mia para ti a refilar por teres comprado comida ranhosa que ele não gosta, etc... secalhar não compensa. Beijos

2:28 da tarde  

Enviar um comentário

<< Home

Licença Creative Commons
Esta obra está licenciada sob uma Licença Creative Commons.