quarta-feira, março 2

Nascer do dia

Está bem, é dia - e que importância tem?
Ou, por isso, irás sair do meu lado?
Deveremos levantar-nos só porque está luz?
Deitámo-nos nós porque era de noite?
O Amor, que apesar do escuro nos trouxe aqui,
Deverá, a despeito da luz, manter-nos juntos.

A luz não tem lingua, é toda só olhos.
Se pudesse falar tão bem quanto espia,
O pior que diria é que, estando bem,
Eu quero gostosamente continuar
E que amo tanto o meu coração e honra
Que, de quem os guarda, não me apartaria.

São os negócios que daqui te afastam?
Oh, essa é a pior doença do amor:
O pobre, o louco, o falso, podem o amor
Acolher, mas nunca o homem atarefado.
Quem tem negócios e ama erra tanto
Quanto um homem casado que queira namorar.

Poema de John Donne

2 Comments:

Anonymous Anónimo said...

Concordo com o penúltimo verso, nõ oncordo com o último. A pressa mata o espaço, o ar que dá vida ao namoro com a vida, primeira e última fonte do próprio. Sem isso nínguém consegue namorar.Homem casado ou não!. Beijos grandes, Linda

3:45 da tarde  
Blogger Reporter said...

John Donne? Não conhecia. Também não posso conhecer toda a gente n'é?
Mas esse último verso... my God!
Beijos.

6:57 da tarde  

Enviar um comentário

<< Home

Licença Creative Commons
Esta obra está licenciada sob uma Licença Creative Commons.